*Fazer olhinhos

*Instituto Nina Rosa

*Sutiãs triangulares

* Dezembro 2009

* Outubro 2009

* Setembro 2009

* Agosto 2009

* Junho 2009

* Maio 2009

* Abril 2009

* Março 2009

* Fevereiro 2009

* Janeiro 2009

* Dezembro 2008

* Novembro 2008

* Outubro 2008

* Setembro 2008

* Agosto 2008

* Julho 2008

* Junho 2008

* Maio 2008

* Abril 2008

* Março 2008

* Fevereiro 2008

Terça-feira, 17 de Fevereiro de 2009

Dia do amor

No dia 14 de fevereiro foi comemorado o Dia de São Valentim, e em muitos lugares, como em Portugal, também comemora-se como sendo o Dia dos Namorados. No Brasil o dia de São Valentim é comemorado no dia 12 de junho, mas dia 14 foi aqui, o Dia do Amor.

Não se sabe exatamente a origem de São Valentim, mas há quem acredite que em meados do século 3 depois de Cristo, o imperador romano, Claudius Segundo, teria proibido os casamentos para recrutar mais soldados para suas batalhas. Entretanto, um sacerdote de nome Valentim, teria violado o decreto e realizado casamentos em segredo.

Valentim foi descoberto e condenado à morte. Enquanto estava na prisão, dizem que recebeu muitas mensagens de otimismo e flores de quem acreditava no amor. É dito também que nessa época, uma mulher cega chamada Júlia foi visitá-lo várias vezes, levando comida e conversa. Acredita-se que São Valentim rezava diariamente à Deus para que Júlia recuperasse a visão. Certo dia, a mulher teria chorado enquanto visitava Valentim e voltou a enxergar.

Diante deste milagre toda a família de Júlia converteu-se ao cristianismo. O imperador soube do acontecimento e condenou o sacerdote à morte, no dia 14 de fevereiro. de 269 depois de Cristo.

Outra teoria é a de que fevereiro era o mês oficial do início da primavera, uma época de purificação. O dia 14 na antiga Roma era dedicado à deusa Juno, a deusa das mulheres e do casamento. No dia 15 começava um ritual chamado Lupercalia, onde eram celebrados o amor e a juventude.

E por falar em amor, vou colocar um poesia:

O mar

 

Pela ponte de espuma
Chegaste.
Ignoro o além da praia,
O mundo que te gerou;
Se surgiste do seio do dia
Ou do grito da noite.
Reconheço-me apenas
No coral das unhas e da boca,
Nos olhos líquidos,
Na trança de sargaço.
Sei que flutuas em mim,
E teu corpo veste-se
De vozes;
No entanto,
Regressarás ao mundo de areias brancas
E meu murmúrio será sal,
Brilhando em teus cabelos.

 

(poesia retirada do site www.comamor.com.br)

palavras-chave: ,


*Dezembro 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


*palavras-chave

* todas as tags

*procurar por aqui

 

*Ana

*Fazer olhinhos

blogs SAPO
RSS