*Fazer olhinhos

*Instituto Nina Rosa

*Sutiãs triangulares

* Dezembro 2009

* Outubro 2009

* Setembro 2009

* Agosto 2009

* Junho 2009

* Maio 2009

* Abril 2009

* Março 2009

* Fevereiro 2009

* Janeiro 2009

* Dezembro 2008

* Novembro 2008

* Outubro 2008

* Setembro 2008

* Agosto 2008

* Julho 2008

* Junho 2008

* Maio 2008

* Abril 2008

* Março 2008

* Fevereiro 2008

Domingo, 22 de Fevereiro de 2009

O que me faria amá-lo?

 

Hoje tava dando uma lida no Papo Calcinha ( www.papocalcinha.com.br/relacionamento/2008/07/07/o-que-me-faz-amar-um-homem/ ) e vi um post com o título “O que me faz amar um homem?”, aí achei interessante e resolvi responder.  
                                           ---------------******-----------------
Durante um tempo da minha adolescência achei que amaria um homem que tivesse condições financeiras que me proporcionassem a segurança de que eu não precisaria sustentá-lo uma época. (Nessa época minha irmã namorava um cara que tinha essa intenção, ele não trabalhava e nem queria, aí eu temia o mesmo pra mim.)
Além de ter sustentabilidade, ele também teria de ser muito gentil e gostar da minha família. Eu sempre fui muito ligada com esse lance de família, a minha não é perfeita, mas quero sempre estar perto dela.
Já quando comecei a juventude, mudei o conceito. Amaria um homem que me fizesse rir! É muito importante o senso de humor, a alegria torna o dia-a-dia mais leve e fácil de levar. Além disso, fisicamente o sorriso me chama muita atenção, então, um homem com um sorriso bonito e que gostasse de rir estava perfeito. Para me fazer rir, provavelmente teria que falar muito.
Com o passar do tempo, fui acrescentando mais algumas coisas. Além de me fazer rir, tem que me tratar bem, não ser apegado a bens materiais (já mudei viu?) e gostar de crianças e animais.
Hoje, amo um homem. E ele: é calado; tem uma situação financeira super instável; já é pai e tem dificuldade em cuidar do filho (mas o ama); é confiável e me passa confiança e segurança também; respeita-me e valoriza; adora minha família e interage com ela. Além de muitas outras coisas que não citarei aqui e que talvez nem eu saiba não é?!
Enfim, o amo. Meu amor hoje é assim. Não sei se o amaria se ele fosse diferente, mas, parafraseando a autora do post referido ali em cima, Ailin Aleixo, Quando é necessário justificá-lo, procurá-lo, racionalizá-lo, é sinal de que ele não está ali”.
palavras-chave:


*Dezembro 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


*palavras-chave

* todas as tags

*procurar por aqui

 

*Ana

*Fazer olhinhos

blogs SAPO
RSS